História de Suspense e Terror


Maria estava esperando na beira da rua. Seus olhinhos brilhantes encantavam qualquer adulto, sua graciosidade infantil conquistava corações. Ela usava um vestidinho vermelho de rendas e um laço lindamente enfeitado na cabeça, prendendo seus loiros cachinhos.
O dia estava quente e ela olhou para o lado, para os outros pedestres que esperavam os carros passarem.
O moço que estava ao seu lado sorriu gentilmente. Se encantou logo com a garotinha segurando aquele ursinho de pelúcia na calçada - Quer ajuda para atravessar? - Ele perguntou.
- Obrigado moço... mas eu acho que consigo - ela respondeu naquela fala infantil tão melosa e pastosa. Ela deu um sorrisinho charmoso e endireitou o laço.
Apareceu uma brecha, ela se decidiu e pisou na rua. Os outros pedestres passavam apresados e não perceberam o desastre iminente.
O ursinho caiu no chão. Maria parou para pegá-lo, se abaixou na rua. O sinal abre.
Os pedestres abandonam a faixa e a garotinha se prepara para correr até a calçada. O caminhão se aproxima, distraído.
Eis que o nó do sapato, aquele nó tão bem feito que a mãe de Maria demorara para confeccionar naquela manhã, se desmancha. A garota corre até a calçada para sair do caminho dos carros. O mesmo nó se enrosca cruel nos sapatinhos brilhantes da garota e ela cai. Tropeça e se estrambelha no meio da rua, sinal aberto.
Nesse mesmo instante o motorista do caminhão percebe que não vai conseguir parar. . .

DIGITE O FINAL DA HISTÓRIA